4 melhores receitas de fermento caseiro para pães e bolos

Kinax

Algumas preparações levam, em média, uma semana, mas o resultado são produtos mais saborosos e saudáveis.


 A fermentação natural ou caseira, entre outras denominações ao redor do mundo, é a forma mais primitiva de se fazer uma massa de pão e/ou de bolo. Existe há milhares de anos, afinal, antigamente não existiam os fermentos industrializados.
É comum que as pessoas se refiram ao fermento natural utilizando o nome “levain”, que é, basicamente, uma massa obtida pela mistura de farinha e água.Fazer um fermento caseiro para pães exige técnica e bastante paciência.
Para se ter ideia, algumas preparações levam, em média, uma semana. Mas, de acordo com as pessoas que são adeptas a este tipo de fermentação, o resultado é, no mínimo: pães mais rústicos, com sabores bem característicos, além de melhor digestibilidade.
Laura Borzani, chef patissier da Bombas de Chocolate, comenta que alimentos que utilizam o fermento caseiro são mais macios e duram por mais tempo. “Além disso, conservam o sabor natural da receita e diminuem os sintomas da azia. O fermento natural também possui melhor valor nutricional”, diz.Em contrapartida, explica a chef: “necessita de muito cuidado na preparação e deve ser nutrido. Dá muito trabalho! Demora aproximadamente 15 horas para ficar pronto e para dar o feito na receita 2 horas. Pela praticidade, o fermento biológico do supermercado acaba sendo mais procurado”.Angela Oliveira é formada em comércio exterior e, depois de trabalhar 32 anos como diretora comercial de uma exportadora de alimentos, hoje cozinha e mantém o blog Ora, Pitangas. Utiliza a fermentação caseira para fazer pães e destaca como suas principais vantagens:
  • Pão de excelente qualidade;
  • Pão de digestão fácil;
  • Pães de boa apresentação;
  • O pão dura mais tempo no quesito maciez;
  • Possibilita o aproveitamento em bruschetas, torradas e afins;
  • Custo mais baixo;
  • Aceita variações com adição de grãos e outras farinhas.

Entre as desvantagens de fazer o próprio fermento, Angela cita:

  • Alimentá-lo com frequência, entre 1 semana e no máximo em 10 dias, faça pão ou não. “O que não chega a ser penoso, pois pode ser facilmente incluído na rotina, desde que se tenha a mão água mineral e farinha”, diz.
  • Ter que se programar para fazer o pão com pelo menos 24 horas de antecedência.
  • Boas doses de paciência, pois a fermentação é lenta.

É interessante saber que, para a maioria das pessoas que utilizam a fermentação caseira, o que conta muito é o cuidado envolvido no processo. “O fermento natural deve ter um nome, deve ser um nome de homem e um nome forte, o meu, por exemplo, se chama Narciso. Na panificação artesanal, pressa e ansiedade não tem vez!”, comenta Angela.

No caso de fermentos caseiros para bolos, especificamente, algumas receitas são mais simples, mas também proporcionam um bolo de melhor qualidade e sabor.

Vejas as 4 receitas:


Leia Também ↓↓: 

Recomendados Para Você: